Escute minhas músicas no player abaixo!


domingo, 14 de junho de 2009

Cadê teu Suín?

"I wanna be a Rock Star" Disse o cara do NickelBack

HAHAHAHAHAHAH (Esta frase me faz rir) Tá Difícl hein? Vai ficar querendo....

Fazendo música do jeito q faz, ou melhor dizendo, produto altamente comercial, fica bem difícil ..... Não que o Rock ou o Rock Star não seja comercial, pelo contrário em muitos casos... Mas "vendida" como esta banda é, nem pretensão de ser algo pode ter... Não tem postura pra nada... Claro que a letra da música é vazia.. Fala de "catar mulher", mas é um bom jeito de introduzir o assunto tratado a seguir!

O que eu considero vendido? O NickelBack vive de single em single praticamente iguais (Músicas altamentes previsíveis - músicas simplesmente para vender) ... Acredito eu que esta banda nasceu com a intenção de fazer Rock de verdade, não? Me corrigam se eu estiver errado... Abaixo em troco em míudos o que estou querendo dizer...

Tenho me estressado bastante com a condi
ção atual da música ultimamente. Ops....quero dizer! Com o apelo comercial sobre a arte em geral! Pessoas (Gravadoras e etc) não comprometidas com nenhuma qualidade (só com o lucro) e artistas dobráveis! Grandes empresas capitalistas interferindo em coisas que não tem tato para fazer.... Qualquer coisa serve para empurrar goela abaixo...

Bom, teve uma fase que eu já protegi de mais tudo que era feito - estilos e tudo mais. Fernando Anitelli fez uma declaração muito legal....
" Não tem que ter pagode? Nem Sertanejo?... Sim! claro que tem que ter! Mas não pode ter só isto! "

Bom, Anitelli, atualmente não é só umas das minhas maiores influências na música, mas ideologicamente também. Esta frase me fez concluir, ou melhor dizendo, tecer alguns pensamentos meus sobre minha insatisfação do que eu não sabia como explicar (Pensamentos voadores sem redes).

Bom, em toda nossa história sabemos de um problema corriqueiro, o homem. Coitado de Jesus Cristo, o problema não é ele é o Cristianismo (formado por quem? o Homem) e consequentemente o que as pessoas fazem em seu nome (Guerras e descriminação). São milhares de anos de inteligência para que? O homem sempre acha um jeito de usufruiu de forma estúpida e ignorante das coisas.

Assim o problema não é o estilo, e sim, a mídia que explora. Hoje temos uma mídia ridícula sobre a música, uma mídia que esmaga uma canção até
a garoupa da nota de 100 R$ secar esturricada no sol.

Voltando, ao meu "eu antigamente", falava " Ahhh.. deixa, eu não curto... Mas eu respeito" (Bom, era uma forma de respeitar tudo que é arte ou uma possível "arte").. Hoje, não é que perdi o respeito, mas tem muita coisa a ser criticada antes de pensar em respeito. Será que o cara "vendido" é comprometido com que faz antes de pensarmos em respeito? Será este cara tá preocupado com alguma coisa a não ser ganhar dinheiro, e no fundo e (em cima) nem ta aí com o que a música dele vai ser.... Bom, Regis Tadeu disse "Música não é para oportunistas incompententes", leia o Artigo

"Pare um minuto e pense se não é um absurdo que um empresário qualquer invista uma grana alta para promover uma armação cretina, quando há milhares de músicos talentosíssimos espalhados pelo Brasil, cujo trabalho poderia render um retorno comercial bacana caso fossem divulgados de uma maneira perfeitamente profissional - algo que conta muito quando se tem dinheiro envolvido. Mas o que vemos são inúmeros mecenas patetas, mais interessados em faturar uma grana rápida, com a cumplicidade dos programas de TVs e das revistas de fofocas, tratando o público como uma massa de idiotas."
Regis Tadeu

A música hoje está numa mesmice total. Intro - verso - refrão - verso - refrão - solo curto ou verso modificado - refrão duas vezes. É um conjunto de cliches e a mesma progressão.... É tudo muito igual e tudo muito previsível. As letras dizem a mesma coisa, um liquificador dos mesmos ingredientes de auto-ajuda...

Me sinto só, mais uma noite escura, quero respostas, eu fiz de coração, Não consigo entender - Volta pra mim, Não sei o que fazer, Não consigo dormir, estou sem ar para respirar....

Não sou contra letra romântica e brega.... Mas não dá para ter milhões de músicas falando a mesma coisa.O amor é uma coisa tão incrível, ampla e tão complexa muita vezes, que não pode gerar só isto.

O problema tá no comprometimento denovo, pessoas que nem são românticas fingindo ser... Fingem para ganhar mais dinheiro... Enfim, há letras e letras de amor... Esta do Fresno é um exemplo de coisa mal feita . Se quiserem ver, outras são quase iguais...


Não sou um velho reclamão... Antes eu pensava nisto.... As pessoas zuando um estilo popular e novo, e afirmando " As coisas velhas que são boas" E eu ficava meio puto... Hoje devo concordar em partes, pois muito coisa antiga foi feita com critério, mesmo que seja um critério de diversão... Mas ainda acho que as pessoas deve saber admirar o novo e não só "endeusar" os Ícones.

Quero dizer, há um meio termo nisto tudo...
Há um coerência

No final das contas, não é de ser espantar que as pessoas digam "Eu gosto de samba e não de pagode. E gosto de música caipira de raiz e não de sertanejo"

É muito triste ver um artista como Frejat, que é um puta Guitarrista, que compôs do lado de um dos melhores compositores da música popular brasileira, fazendo o que faz hoje. Música Pop previsível, facilmente engolida, facilmente descartada...
Cito aqui uma música dos Los Hermanos que diz muito do que estou falando....

Cadê teu repi
quem é teu padrin

onde é que tu to
Cadê teu suin?

guitarra não po
desista mole
quem é que te indi
cadê teu suin?


com que sobreno
melhor ir sain
dou nem mais minu
to nem mais
Ainda tem a cora
gentinha atrevi
da cá sua vi
da cá seu suin

guilhotina?
eu que controlo o meu guidom!
Com ou sem suin
Com ou sem suin
Com ou sem suin

guichê só de vem
da lá toma no
tamanha revan
cheio de vingan
santinha Cecili
andou me esquecen
dou rima por p
hão de ter o suin


acerta esse tom
zera essa reza
aumenta o vo
calma com andamen
to insatisfeito
mara q venh
aquel refr
hão de teu suin

guilhotina?
eu que controlo o meu guidom!
Com ou sem suin
Com ou sem suin
Com ou sem suin

(Cadê teu Suin?) Marcelo Camelo

É demais! Diz como a música é manipulada para ser comercial hoje.
Infelizmente é o que temos. Gravadoras querendo podar artistas para que soe "fácil" Poucas pessoas exploram as diversas quantidades de sons que podemos fazer e misturar...

Óbvio que nem todo mundo tem que misturar tudo.... E muito menos não estou falando que deve ser complexo..... Longe disto!! Só deve sair da corrente e procurar ser criativo.... Chega de Formulas!

Vamos invistir em um meio de comunicação que abre os leques da possibilidades : a Intenet... Você escolhe o que quer, não o que os outros querem que você veja... Veja? Opa tá aí um exemplo de manipulação.... (Não foi proposital, mas incrível)

Daí a Are independende ganha força! Viva! Viva (Como diz meu tio!)

Tudo que se mova é um alvo! Humberto Gessinger diz aqui...

Todo mundo tá revendo
O que nunca foi visto
Todo mundo tá comprando
Os mais vendidos..

É qualquer nota,
Qualquer notícia
Páginas em branco,
Fotos coloridas
Qualquer nova ,
Qualquer notícia
Qualquer coisa
Que se mova
É um alvo

E ninguém tá salvo...

Todo mundo tá relendo
O que nunca foi lido
Tá na cara...
Tá na capa da revista...

É qualquer nota,
Uma nota preta
Páginas em branco,
Fotos coloridas
Qualquer rota,
A rotatividade
Qualquer coisa
Que se mova
É um alvo
E ninguém tá salvo
Um disparo
Um estouro...

Uma palavra
Na tua camiseta
O planeta na tua cama
Uma palavra escrita a lápis
Eternidades da semana..

Toda catedral é populista
É pop
É macumba prá turista
Mas afinal?
O que é Rock'n'roll?
Os óculos do John
Ou o olhar do Paul?

O Papa é Pop!
O Papa é Pop!
O Pop não poupa ninguém
O Papa levou um tiro
À queima roupa
O Pop não poupa!
O Pop não poupa!
Ninguém!...

A música irozniza até não poder mais... É incrível, e ainda as pessoas não captão o valor da mensagem! Acha que música é pra esculachar o Papa - tsc tsc..... Como eu digo em minha música Míopes - Não sabem enxergar um minuto na frente (Em BREVE em meu disco!! hehe)


Tenho considerado uma letra como a nova Papa é Pop. A canção é do Megarex (Banda Independente)... Com vcs, Tomates não Choram!

Do pé inteiro era o tomate mais esperto

Até mais que seu pai, que foi colhido no verão
De polpa pra Lua, já nasceu no lugar certo

e foi protagonista do tropeço do ladrão.

O bandido preso o tornou celebridade
O mais destemido, o vermelhinho valentão

Logo sua fama percorreu toda a cidade
e recebeu o Prêmio Vegetal Revelação.

Sem nada a temer e nada a dizer.

Tomates não choram, tomates não choram,
tomates não choram não.
Tomates não mentem, tomates não mentem,
Tomates não dizem não.

Foi convidado de programas de entrevistas
Foi alvo de pesquisas e até peregrinações
Até saiu nas capas de jornais e de revistas
Criaram teorias e até religiões

Mas o tempo todo ele permaneceu calado
Redondo introvertido sem ter nada a declarar
Foi julgado esnobe, mas também foi aclamado
Foi tema de brinquedos e bonecos de inflar.

Sem nada a temer e nada a dizer.

Tomates não choram, tomates não choram,
tomates não choram não.
Tomates não mentem, tomates não mentem,
Tomates não dizem não.

Tomate aposentado foi colhido no Natal
Feliz foi o seu fim, mas causou um grande choque
O sonho de um povo chegava ao seu final
Num molho requintado, derretendo-se no nhoque

Tomates não choram, tomates não choram,
tomates não choram não.
Tomates não mentem, tomates não mentem,
Tomates não dizem não.

Tomates não choram - Megarex Conheça a Banda!

Ningúem tá salvo, nem um tomate!

É a filosofia do Titãs "A melhor Banda de todos os tempos da ultima semana"

Um frase vem a minha cabeça de tudo que eu critiquei acima....

Sim, é música e todo muito tem direito de ouvir o que quer, mas é de fato que o rádio e a Tv forçam uma lavagem cerebral de um produto altamente comercial

Bom, é isso, só aparece quem paga jabá... É um ciclo que um alimenta o outro, que ao mesmo tempo é natural no mundo capitalista, também é natural fechar oportunidades para muitos. É um prato cheio para quem quer entrar na dança, e no fim a música vira um negócio. Concluindo, simplemente só investem e se sobresae o que não traz discussão, debate e questionamento... É a Tv e o rádio com rabo preso em política o que deixa a situação mais complicada ainda... Daí que podemos questionar se isto tá certo.... eu acho que não. | Fim ao monopólio de informação |

... Eu simplesmente acho ridículo, só aparecer quem pode pagar...

E ae que O Teatro Mágico é um fenômeno da arte independente. Sem jabá, sem gravadora faz show no Brasil inteiro e é muito conhecido (... E além disto chegou ao topo dos mais vendidos na Saraiva!!). Eu fico extremamente feliz quando toco e falo do TM pra alguém e este alguém conhece.... É a prova do que deu certo! É o respiro para pessoas acreditarem na mudança!

Um dos problemas principais, voltando sempre ao Homo sapiens, é que a maioria das pessoas não estam aí pra nada. Aceitam tudo e não questionam nada... Preferem não interromper a corrente acelarada Capitalisa, se excluindo até mesmo da qualidade de vida...

Traduzindo. É uma fila para pagar contas de um banco que ninguém quer sair para não perder lugar, nem mesmo para ir em um necessário banheiro...

....

Enfim, num país que dá audiência para programas que debatem o dia inteiro (sem metáforas, é o dia inteiro mesmo) a situação do futebol....(e olha que tem asunto para não acabar mais... Logo logo vão discutir qual é a melhor cueca do Ronaldinho) não pode esperar mudanças tão rápidas.... Mas a luta continua para quem quer liberdade e pluraridade da arte e informação...

Até a próxima...

Valeu!

|André DeMarco|


5 comentários:

Pinginha disse...

Dá-lhe Humbertão, Los Hermanos e André DeMarco neles \0/ \O/ \0/

Bruna Zanardi disse...

Rapá, meu comentário ficou um pouco grande... então, por favor, veja isso: http://pensamentosdamadrugada.blogspot.com/2009/06/e-o-andre-pergunta-cade-teu-suin.html

Beijos, Bbruniiilda.

Leonardo M. Pires disse...

Então, estou de pleno acordo com a maior parte do texto. Só acho que a gente deve ter em mente que a postura de censurar essa ou aquela banda, esse ou aquele estilo de música, tá a um passo de assumir uma postura elitista e desconectada da realidade. Na minha opinião, a música é SEMPRE uma expressão da cultura, mesmo a música comercial. Aliás, PRINCIPALMENTE a música comercial, afinal de contas, a principal característica da cultura global é o consumismo, e acho que é muito ingênuo pensar que as pessoas consomem cultura de massa só porque elas são manipuladas. A relação é de mão dupla: a indústria cultural manipula porque existe campo fértil para manipulação, e a população consome porque o produto preenche alguma necessidade (necessidade emotiva, na minha opinião). Então não é o caso de dizer que a cultura de massa alienou as pessoas. Penso ser mais o caso de um diálogo de surdos (metáfora preconceituosa...), ou seja, a indústria só quer ganhar dinheiro e o público quer preencher alguma necessidade emocional, e ninguém se dá conta de que a música responde a um universo maior que esse. E no meio dessa muvuca fica o artista, muitas vezes apelando para a música comercial porque pensa (até corretamente, na minha opinião) estar dando o que o público quer e necessita.

Quanto ao caso de fazermos músicas mais ou menos trabalhadas, com letras mais ou menos mirabolantes, acho que aí mora o perigo do elitismo. Uma música pode não nos dizer ABSOLUTAMENTE NADA simplesmente porque nós, filhos da classe média-alta, não temos o arcabouço cultural para escutá-la. Lembremos que não foi o Pink Floyd ou o Los Hermanos quem deixou a mídia nativa de joelhos, sem saber o que fazer: foi o funk carioca...

Chel disse...

Parabéns pelo texto!! Encaixou perfeitamente com as composições do Marcelo Camelo e do Humbertão...

Vale ressaltar que, se o chamado 'estilo comercial' é feito pura e simplesmente para gerar lucros e concentra-se na 'mesmisse' e na falta de criatividade, é porque o consumidor compra esse estilo. Não penso que isso seja manipulação por parte das gravadoras etc, e sim que me parece mais uma comodidade do mundo moderno, já que é muito mais fácil ligar o rádio na estação mais badalada da cidade do que ir à loja fuçar e encontrar o que mais lhe agrada (qual o nome disso mesmo? senso comum, talvez?). O consumidor em geral abandonou o senso crítico, e trocou-o pela 'festa no apê'. Porém, vejamos, o estilo comercial ainda é considerado por mim um modo de ver a arte (ligeiramente incompatível comigo, mas agora apelando para o bom e velho clichê: gosto é gosto, não é mesmo?).
Resta a mim ir aos churrascos, ouvir aquele pagodão de boca calada e ainda achar legal (depois de umas cervejas então, ninguém nem nota...). Até porque, todo mundo tem seu lado negro....o meu é ter umas recaídas de vez em quando...

Um beijão
continue escrevendo!
Rachel

Pinginha disse...

Beautiful Aquele Velho Brocha, falou e disse. Para acabar com a mesmice, dá-lhe André DeMarco neles Oh YeaH! \0/ \O/ \0/