Escute minhas músicas no player abaixo!


segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Entrevista - Jornalismo Unimep "Na Prática"

Luíza Mendo é do sexto semestre de jornalismo da Unimep - Piracicaba. A sala dela está produzindo um jornal "Na Prática". Como eu começei a tocar em Piracicaba ela acabou conhecendo meu trabalho...

Aqui vai a entrevista na íntegra
...

É formado em alguma coisa? Sim, Ciências Biológicas. Me formei em 2006... Em 2007 já dava aula no estado e em 2008 comecei trabalhar também como monitor de agência de Ecoturismo, neste mesmo ano comecei a tocar em bares... E este ano só fiquei com a música! E sim, é o que pretendo para resto da minha vida!

Quando iniciou o interesse por música? Quando somos crianças, sempre pegamos algumas naves do "Comandos em ação" e fingimos que é uma guitarra!... Não?! haha Bom, alguns sim. Sempre juntei baldes para batucar. Isto é mais normal, não é?... Este pode ser considerado o começo.

Bom, mas para falar verdade, tem um MOMENTO MARCANTE na minha vida que declaro como início do interesse, e me lembro muito bem dele.... Estava no computador e meu irmão colocou para tocar no vinil o Greastest Hits do Queen.... Mal a agulha encostou e começou o famoso TUM TUM PÁ (We Will Rock You). Foi daí que comecei a me interessar por Rock e música... Antes eu ouvia música, mas não sabia do que gostava... É como uma bateria carregando, só depois que ela começa funcionar...

Quando começou a tocar e quantos instrumentos toca? 1998! Este é o ano! Meu irmão fazia aula de teclado e começou a fazer violão. Foi aí que me interessei por violão, começei e não parei até hoje! Fiz aula por 3 anos e voltei aos estudos neste ano! Neste meio tempo estudei sozinho! Toco gaita (tive algumas aulas) e toco bateria também, mas nunca fiz aula, foi sempre na percepção do ritmo, tenho muita facilidade para isto! Gosto de brincar com outros inturmentos de cordas, por causa do conhecimento do violão e guitarra!

Da onde surgiu a idéia de fazer “homem banda”? Pô.... Nunca tive o intuito de juntar tudo.... hehe É mole? Isto é melhor ainda, pois foi um coisa do nada, quero dizer, as coisas foram acontecendo... Também nunca me espelhei em ninguém, isto é outro ponto interessante, pois naturalmente você cria algo único. Existe outros homens-bandas com propostas bem diferentes, que fui conhecer depois de desenvolver o trabalho.

O início de tocar tudo ao mesmo tempo foi dentro de uma banda (a última que eu formei). Esta banda só tinha violão e teclas e carecia de outros instrumentos (bateria e baixo). Logo na primeira apresentação, eu juntei uma meia-lua em um pé, violão e gaita. Era difícil conciliar tudo no começo ao mesmo tempo, e tudo era bem mais simples. Depois adicionei um bumbo feito por mim (no outro pé) e aos poucos, como tinha outros instrumentos na banda, me possibilitava tocar tambores (percussão em geral) e voltar pro violão na mesma música. Com o tempo, isto se aprimorou e conseguia fazer em menor tempo.

No projeto solo - Homem Banda, só foi evoluindo a capacidade, e hoje, uso um chimbal além da meia-lua no pé direito e até um prato de ataque. Hoje me sinto ao vontade em tocar vários ritmos e mudar levadas das músicas, conseguindo ter uma pluraridade de opções.

Porque e quando optou a carreira solo? Sempre levei mais a sério que meu amigos... Sempre tive banda e nunca foi para frente, até porque havia este choque de interesse. Meus amigos sempre falavam, "não precisam levar tão a sério?" E eu sempre ficava com a pulga atrás da orelha "Porque não!?". No final das contas, descobri o que eu sempre soube... Felizmente! Ao mesmo tempo, foi uma escola tocar em bandas por quase 10 anos, é um período ótimo de amadurecimento, e claro, foi muito bom.

Enfim, em Junho de 2008 apareceu a oportunidade de fazer uma apresentação solo em um padaria, daí a o trabalho foi em frente.

Como foi se lançar como “homem banda? Qual foi o retorno do público no inicio? Sempre é de espanto, haha... Claro, o lado bom do espanto. O pessoal fica impressionado "Nossa você toca tudo isto ao mesmo tempo" Felizmente, a reposta sempre é positiva, ainda mais por ser um trabalho diferente. Uma coisa que sempre acontece é quando a pessoa não está me vendo no bar e acha que é realmente uma banda, e vai conferir o que está acontecendo.

Ultimamente o público tem sido muito receptivo, tem sido ótimo. Não há nada melhor que a recepção e aceitação do seu trabalho... As palmas dão uma energia extra!

Quanto tempo de carreira? 11 anos como músico A quanto tempo existe o “homem banda”? No trabalho solo 1 ano e 5 meses, e se considerar dentro da banda (que é o correto) 2 anos e meio!


Como é ser o “homem banda”, ter que tocar vários instrumentos e cantar? Sensação maravilhosa! As vezes me pego no meio do show e paro para pensar.... "Olha só o que estou fazendo!! Que momento especial.. Olha o som que tá saindo disto tudo!"..... Adoro tocar, não me vejo fazendo outra coisa (lágrimas nos olhos ..hehe)


Como é o ritmo de shows? É só você que faz tudo ou alguém ajuda? Toco sozinho, corro atrás do bares sozinho, duvulgo sozinho, carrego-descarrego-monto-equalizo os equipamentos sozinho... Pois é, tocar sozinho tem estas responsabilidades... No geral e rotina é isso, claro que existe algumas ajudas esporádicas. Como meu irmão e amigos, claro! =)

---

Ah! Este ano, como eu disse, estou me dedicando integralmente para música... Voltei a estudar, faço parte do Coral Universitário da PUC-Campinas (sou integrante desde 2005) e estou gravando meu primeiro disco solo autoral, totalmente independente e exclusivamente em software livre! Estou gravando todos instrumentos e terá algumas participações especias!


É isso!

Bjos e Abs!

2 comentários:

Chel disse...

"Antes eu ouvia música, mas não sabia do que gostava... É como uma bateria carregando, só depois que ela começa funcionar..."
hahaha gostei!

Ricardo Maciel disse...

Começa a falar o nome da banda, pô!!

Viva os Osciladores Harmônicos!